Suspeito de matar engenheiro em Ribeirão Preto é preso em Nova Iguaçu

Assassino - NÃO APAGAR

Gabriel Sousa Brito teria armado uma emboscada para roubar e assassinar Paulo Roberto Carvalho Braga Pena Filho por meio de um aplicativo de relacionamento

A Polícia Civil do Rio prendeu, na tarde desta segunda-feira (15), Gabriel Sousa Brito, de 28 anos, suspeito de assassinar o engenheiro Paulo Roberto Carvalho Braga Pena Filho, de 34, encontrado morto na Zona Norte de Ribeirão Preto, em São Paulo. Alvo de um mandado de prisão temporária, Gabriel foi preso por agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, durante uma ação conjunta com a Polícia Civil de São Paulo.

Paulo Roberto, conhecido como Beto, morava nos Estados Unidos e veio ao Brasil para passar o fim de ano com a família em Ribeiro Preto. Na noite do último dia 28, ele saiu de casa e disse que encontraria com amigos, mas não retornou. A família procurou a Polícia Civil de São Paulo na manhã seguinte e contou que havia recebido a mensagem de um desconhecido afirmando ter encontrado o celular da vítima.

O corpo de Beto foi encontrado com marcas de violência e sem nenhum pertence dentro de um apartamento no bairro da Vila Amélia, no último dia 30.

De acordo com relatos de testemunhas, o imóvel costumava ser alugado para garotos e garotas de programa, sendo que o proprietário mora no Rio e o pagamento é feito antecipadamente para ele.

As investigações indicam que o engenheiro foi atraído para uma emboscada por meio de um aplicativo popular usado para marcar encontros.

Gabriel, que responde por latrocínio (roubo seguido de morte), foi encontrado e preso em Nova Iguaçu. Ele será encaminhado ao sistema prisional e fica à disposição da Justiça de São Paulo.